Orquite » Dr. Alexandre Lobel Orquite » Dr. Alexandre Lobel
Dr. Alexandre Lobel
Dr. Alexandre Lobel

Orquite

por Alexandre Lobel

Causada por infecções bacterianas ou virais, a orquite tem como principal característica a inflamação dos testículos.

Na maioria das vezes, a bacteriana resulta de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), como clamídia, gonorreia e sífilis. Por isso, é frequentemente registrada em homens sexualmente ativos que não utilizam preservativos.

A viral, por outro lado, ocorre como consequência da caxumba, principalmente em meninos após a puberdade. Tende a se desenvolver cerca de seis dias após o início da doença.

A inflamação pode afetar um ou ambos os testículos e se não for tratada causa atrofia testicular, abscesso escrotal (pus no tecido infectado) ou, quando afeta os dois testículos, produção inadequada de testosterona. A condição é conhecida como hipogonadismo e, consequentemente, altera a produção dos gametas masculinos, provocando infertilidade.

Entenda mais sobre a orquite neste texto. Ele explica as causas, sintomas, diagnóstico e tratamentos indicados.

O que provoca a orquite?

Embora infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) sejam a causa mais frequente de orquite bacteriana, ela também pode surgir a partir de outras inflamações, como a epididimite (do epidídimo), prostatite (da próstata) e uretrite (da uretra).

As bactérias que provocam com mais frequência a inflamação são a Chlamydia trachomatis, Neisseria gonorrhoeae, Treponema pallidum, Escherichia coli, Klebesiella pneumoniase, Pseudômonas aeruginosa, Staphylococcus e Streptococcus.

Além do vírus da caxumba, outros agentes virais, normalmente associados à mononucleose infecciosa, mais raramente podem provocar a inflamação dos testículos.

Alguns fatores de risco contribuem, ao mesmo tempo, para o desenvolvimento de orquite. Eles incluem a falta de imunização contra o vírus da caxumba, manter relações sexuais sem a utilização de preservativos e histórico de ISTs, anormalidades congênitas e cirurgias ou infecções recorrentes no trato urinário.

Quais são os sintomas de orquite?

O principal alerta para orquite são inchaço e dor súbita nos testículos. No entanto, outros sintomas também se manifestam repentinamente e podem indicar o problema:

A presença de qualquer um desses sintomas indica a necessidade de procurar auxílio médico com urgência. Quando tratada precocemente, a orquite tem cura. O tratamento tardio, por outro lado, ao mesmo tempo que resulta em infertilidade e provoca danos nos testículos, pode causar a perda deles e, em casos mais graves, levar ao óbito.

Como a orquite é diagnosticada?

Algumas alterações que indicam a possibilidade de orquite podem ser percebidas ainda durante o exame físico, como o inchaço de um ou ambos os testículos, secreção peniana e aumento do volume da próstata, sensibilidade ao toque e presença de linfonodos na região da virilha.

Assim como os sintomas, elas também são comuns a outras patologias masculinas que provocam inflamações. Por isso, exames são realizados para confirmar a orquite e excluir a possibilidade de outras condições.

O teste de urina possibilita a identificação de diversos tipos de bactérias. No entanto, exames sorológicos devem ser realizados para o rastreio de ISTs, inclusive para o HIV, que também pode causar o desenvolvimento de orquite.

A ultrassonografia com doppler é realizada para avaliar os testículos inflamados, confirmando a possibilidade de orquite e descartando a de a infecção ser provocada por outras condições.

Os resultados diagnósticos contribuem para a definição da abordagem terapêutica mais indicada em cada caso.

Qual é o tratamento indicado para orquite?

Se a orquite for provocada por bactérias, são prescritos antibióticos específicos para o tipo que causou a inflamação, em ciclos curtos ou longos de tratamento. Quando são patógenos sexualmente transmissíveis, indica-se o tratamento do parceiro.

Já para a orquite viral, o tratamento normalmente é realizado com anti-inflamatórios não esteroides (AINES). Ao mesmo tempo que combatem a inflamação, também aliviam rapidamente os sintomas provocados por ela; apenas a sensibilidade dos testículos pode permanecer por mais tempo.

Para ajudar a aliviar o desconforto provocado pela orquite, algumas medidas podem ser adotadas, entre elas o uso de uma cinta para sustentação dos testículos e a aplicação de compressas geladas no local.

Nos casos em que a inflamação se torna mais grave ou é recorrente e não retrocede com a medicação, a indicação passa a ser a remoção de um ou dos dois testículos. O procedimento é conhecido como orquiectomia. Essa conduta é rara.

Com o tratamento, a fertilidade também é restaurada, assim como a gravidez também é possível a partir da fertilização in vitro (FIV) com injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI), se os danos provocados pela inflamação forem mais graves. Dependendo do caso, é necessário recorrer à doação de gametas.

Gostou? Compartilhe essa página:

Deixe aqui o seu comentário: